Grupo nômade viaja à cavalo para divulgar arte e ecologia

O modo de vestir e a alimentação são algumas das características que distinguem o estilo de vida de um grupo de pessoas que percorre vários países, entre eles o Brasil para divulgar uma mensagem de preocupação com o meio ambiente. O nomadismo é a proposta do grupo “Nomads United”, surgido no final dos anos 90 por inspiração do israelense, Kareen Kohn.

Uma das “tribos”, subgrupo composto por 20 pessoas de oito países, está de passagem por São Tomé das Letras, no Sul de Minas. Eles viajam sempre à cavalo.
Os acampamentos são montados em áreas emprestadas por fazendeiros e apesar de viverem de maneira simples e livre, é preciso muita organização para cumprir todas as tarefas do dia a dia.

O “Nomads United” foi a São Tomé das Letras à convite da fonoaudióloga e ambientalista Xaxá da Mantiqueira, que conheceu o grupo na Argentina. Ela convenceu os integrantes a alterarem o roteiro inicial, que os levaria ao Peru.

No sul de Minas o grupo já passou por Aiuruoca, Alagoa e Cruzília. Eles não sabem quanto tempo ficam na região porque para os deslocamentos dependem de dinheiro obtido com apresentações artísticas. Shows de malabarismo, pirofagia e teatro.

Você pode encontra mais informações sobre o grupo Nomads United clicando aqui.

Abaixo um pouco mais da história do grupo:

Nomads United é uma organização que desde 1998
atravessa a cavalo países por todo o mundo, sendo composta
por mais de 300 pessoas de mais de 30 nacionalidades.
Estas colaboram, vivem e aprendem a criar uma
onda de consciência ambiental representando uma corrente
social focada em estimular valores de sustentabilidade,
através dos diversos grupos que cavalgam pelas
áreas rurais, para aprender e contribuir para soluções
inovadoras para as condições ambientais críticas da
Terra.
O movimento começou como um sonho romântico, embora
com o passar do tempo se tenha tornado a maior e
mais culturalmente diversa caravana a cavalo do mundo.
Ela prova como um grupo de pessoas de todo o mundo,
Árabes, Judeus, Europeus, Americanos, etc…podem unirse
com um intuito comum, para lá das diferenças de
raças ou crenças. Não como uma expedição, excursão ou
competição, mas como um sistema de vida comunitária,
orgânica e nomádica.
Passaram 9 anos desde o nascimento da Nomads
United e o movimento continua a crescer e a tocar mais
aldeias remotas, procurando abrir as portas da mudança
através da razão e da compaixão, arte e ciência, para que
possamos tentar ver para além dos espaços que nos separam
e harmonizar os humanos com os animais e a Terra.
Damos um passo orgânico de cada vez e todas as semanas
organizamos eventos que se constituem como uma
mistura de música étnica, danças resgatadas de diversos
países como dança Árabe, Africana e Flamenco, dançarinos
com tochas de fogo, acrobacias com cavalos e palhaços,
entre outros, de forma a lançar a faísca para um
festival de sensações planetárias.
A última caravana começou na Costa Rica em Março
de 2004, e já passaram mais de três anos desde que
começou a atravessar a América Central rural, parando
de cidade em cidade, aldeia em aldeia, levando a mensagem
de paz e ecologia. “Quando os habitantes locais
nos vêem a chegar de surpresa ficam curiosos. Um dia
como qualquer outro contrasta pela parada colorida de
cavaleiros de todo o mundo. Em pequenas aldeias onde
os nativos ainda vivem e trabalham na terra com os seus
cavalos, onde talvez as pessoas nunca tenham tido a
hipótese de deixar o seu país, surgem de repente representantes
de nações distantes, de terras de que muitos
nem sequer ouviram falar, que vêm assim acordar para a
consciência das diferenças e semelhanças entre culturas.”
Existem diversos projectos que promovem esta onda
de consciência e que actuam em diversas áreas como o
desenvolvimento ecológico e social, interacções culturais,
etc., formando em conjunto uma campanha holística, integral
e não poluidora que procura abordar as principais
causas da degradação ambiental sem criar um impacto
negativo no ambiente.

border=0

You may also like...

0 thoughts on “Grupo nômade viaja à cavalo para divulgar arte e ecologia”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *