Passageiros alegam falta de segurança após morte em ônibus

Passageiros da região têm reclamado da falta de segurança nas rodoviárias após o engenheiro químico João Gabriel Camargos, de 25 anos, ser morto durante um assalto dentro de um ônibus que seguia de Poços de Caldas (MG) para Belo Horizonte (MG), no último sábado (9). Segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), nenhuma rodoviária no país está equipada com detector de metais e não há um controle rígido de passageiros na hora do embarque.

height=225

Ainda de acordo com o órgão, as questões de segurança já são discutidas, mas até o momento não existe nenhuma lei que obrigue a instalação de equipamentos que possam oferecer mais segurança. "A gente não sabe quem está sentado do nosso lado, se é uma pessoa boa ou mal intencionada. Ela pode carregar uma arma, então é um risco", alega a dona de casa Nazaré Rodrigues Nascimento.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal de Minas Gerais, em 2012 foram registrados 84 assaltos a ônibus. Neste ano, entre os meses de janeiro e fevereiro, a polícia registrou 11 assaltos. No Sul de Minas, onde a PRF atua em cinco postos, foram registradas quatro ocorrências do início do ano até agora: dois furtos em Pouso Alegre (MG), um em Perdões (MG) e o assalto que tirou a vida do engenheiro.

Homem de 33 anos é suspeito de ter matado

A Associação Brasileira de Empresas de Transportes Terrestres de Passageiros foi procurada, mas não quis se pronunciar sobre a questão da segurança nos ônibus.

O retrato falado do suspeito foi divulgado nesta terça-feira (12) pela Polícia Civil de Lavras (MG) e ajudou a equipe de agentes a encontrar a foto do criminoso no banco de dados integrados da Polícia Civil.

Segundo o delegado regional de Lavras, Carlos Camargo, foi por meio do retrato falado, feito com base nos depoimentos das testemunhas, que a fotografia do homem foi encontrada. De acordo com o delegado, o suspeito é Paulo Monteiro da Silva, de 33 anos. Ele é da cidade de São Paulo (SP) e o último endereço registrado é da cidade de Francisco Morato (SP). Ele está foragido.

Ainda segundo Carlos Camargo, a foto do suspeito já foi reconhecida pela namorada do engenheiro assassinado. Outras testemunhas do crime ainda serão ouvidas, já que a polícia trabalha com a possibilidade dele ter cometido outros assaltos a ônibus no Sul de Minas.

Quem tiver informações sobre o assaltante pode entrar em contato pelo telefone 181.

Outros crimes

O delegado de São Gonçalo do Sapucaí (MG), Wellington de Castro, informou que uma testemunha reconheceu o rosto de Paulo Monteiro da Silva como sendo o do suspeito de ter roubado os passageiros na Rodovia Fernão Dias, em um ônibus que saiu de Campinas (SP) com destino a Barbacena (MG), na última sexta-feira (8).

Na ocasião, um dos passageiros anunciou o assalto e armado roubou dinheiro, cartões, documentos e objetos pessoais de mais de 30 ocupantes do coletivo. Após roubar os passageiros, o assaltante pediu que o motorista parasse próximo a São Gonçalo do Sapucaí e fugiu.

Um passageiro conseguiu rastrear o próprio celular e recuperar os objetos roubados. Segundo a PRF, ele utilizou um computador com acesso à internet do posto policial e recebeu uma fotografia com a localização exata em que o telefone estava.

Polícia Civil identifica suspeito de matar engenheiro durante assalto

Polícia divulga retrato falado de assassino de engenheiro

Assassino de engenheiro praticou outros assaltos na região, diz polícia

Corpo de engenheiro morto em assalto a ônibus é enterrado em BH

Com jovem baleado, ladrão obriga motorista a dirigir da BR-381 até BH

O caso

O crime aconteceu em um ônibus que fazia a linha de Poços de Caldas (MG) a Belo Horizonte (MG), na madrugada do sábado (9).

A ação durou cerca de 20 minutos na BR-381. Segundo a Polícia Militar (PM), um suspeito entrou no veículo e anunciou o roubo, na altura da cidade de Perdões, também no sul do estado. De acordo com passageiros, o ladrão tropeçou no pé da vítima, irritou-se e atirou contra o jovem. O assaltante desceu do ônibus na cidade de Oliveira, na Região Centro-Oeste do estado, mas antes fez uma ameaça. Ele teria dito que é integrante de um grupo criminoso que atua no Rio de Janeiro e que outros comparsas seguiriam o veículo até Belo Horizonte. Por isso, o motorista só parou na capital. O suspeito abandonou o veículo e fugiu.

"Recolheu os pertences de todo mundo e acabou tropeçando no pé do meu primo. E com isso, ele ficou muito furioso e acabou atirando nele de cima para baixo, executando ele. A namorada dele, infelizmente, ela teve que vir esse percurso todo, esse trajeto inteiro do lado dele, sentindo ele se esvaindo, falecendo aos poucos (…), ele todo ensanguentado. Veio até Belo Horizonte ao lado dele, no dia do aniversário dela", contou Iara França Camargos, prima da vítima. O casal morava em Poços de Caldas e passaria o aniversário da moça com a família dela.

Em Belo Horizonte, a vítima foi levada a um hospital no bairro Barro Preto, na Região Centro-Sul, mas morreu.

Na tarde do sábado (9), a Polícia Civil informou que os levantamentos iniciais são feitos pelo Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DIHPP) em Belo Horizonte.

Após balear engenheiro, suspeito obrigou motorista dirigir até BH (Foto: Reprodução EPTV)

Ainda de acordo com a Polícia Civil, há também a versão de que dois comparsas do assaltante estavam infiltrados dentro do ônibus e só desceriam em Contagem, a 21 quilômetros de Belo Horizonte, o que não ocorreu. Segundo testemunhas, o assaltante disse que o ônibus deveria seguir direto até aquela cidade. Com não houve desembarque no local, o motorista parou na capital mineira para pedir socorro.

De acordo com a empresa responsável pelo ônibus, o condutor seguiu até Belo Horizonte para evitar que o assaltante fizesse mais vítimas. A viação informou ainda que está em contato com a família do passageiro e que vai prestar assistência que for solicitada pelos parentes.

O corpo do engenheiro químico foi enterrado no último domingo (10), no cemitério Parque da Colina, na Região Oeste de Belo Horizonte. O velório de João Gabriel Carmargos teve início às 7h, e o sepultamento foi realizado por volta das 16h.

You may also like...

0 thoughts on “Passageiros alegam falta de segurança após morte em ônibus”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *