“Rei da cachaça” é levado para cadeia pública em Pedra Azul, MG

O empresário Antônio Eustáquio Rodrigues, de 64 anos, o “Rei da Cachaça”, foi levado para a cadeia pública de Pedra Azul, no Vale do Jequitinhonha, nesta quarta-feira (13) e está sob custódia da Polícia civil.

Ele foi preso durante operação da na quarta-feira (12) em Salinas, no norte de Minas,acusado de pedofilia e tentativa de homicídio. A prisão se refere a cumprimento de mandado após operação coordenada pela Polícia Civil após denúncia do Conselho Tutelar e investigação do Ministério Público.

Rodrigues passou a noite em Salinas sozinho em uma cela comum, que tem 4 m², sanitário e um colchão. Outros 37 detentos estão presos na cadeia, onde ele prestou depoimento por duas horas.

O rei da cachaça é dono da maior fábrica de cachaça artesanal do Brasil, a Seleta e Boazinha Indústria Comércio Importação e Exportação Ltda, que produz mais de um milhão de litros por ano e criou as marcas Seleta, Saliboa e Boazinha. Rodrigues tem um dos maiores patrimônios do ramo de bebidas e é famoso pela vida extravagante que levava em Salinas, cidade com cerca de 40 mil habitantes.

O delegado José Eduardo dos Santos vai apresentar detalhes da investigação nesta quinta-feira (14). O Ministério Público e o Conselho Tutelar da cidade não quiseram se pronunciar sobre o caso por causa do envolvimento de menores de idade.

Resposta da empresa

Em nota, a empresa afirma que as operações comerciais continuam normalmente e que Antônio Eustáquio Rodrigues está afastado da gestão desde 2006 por problemas de saúde. Confira a íntegra do comunicado:

A Seleta e Boazinha Indústria Comércio Importação e Exportação Ltda, detentora da marca Seleta, esclarece a todos os clientes, fornecedores, parceiros e amigos, diante dos problemas pessoais enfrentados pelo seu sócio-fundador, Sr. Antônio Eustáquio Rodrigues, que a empresa continua a operar regularmente, cumprindo com empenho seu objeto social.

Comunicamos que o Sr. Antônio encontra-se afastado das atividades de gestão da empresa desde 2006, por decisão do Conselho administrativo do grupo, em virtude de graves problemas de saúde.

A empresa reitera o comprometimento com a excelência de seus produtos, que a credencia como referência nacional no segmento, empregando mais de 300 colaboradores, que posicionam a marca no topo da produção de cachaça artesanal do Brasil.

Toda a equipe Seleta está confiante em uma instrução processual justa, coerente e dentro dos parâmetros da legalidade, na expectativa de que seu sócio-fundador preste todas as informações necessárias à elucidação dos fatos imputados a sua pessoa física.

 

FONTE: R7

You may also like...

0 thoughts on ““Rei da cachaça” é levado para cadeia pública em Pedra Azul, MG”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *