Governador de MG atribui atraso no Samu Regional a questões políticas

O governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho (PP), cumpriu alguns compromissos políticos nesta segunda-feira (8), em Três Corações (MG). Durante sua visita ao Sul de Minas, Coelho falou sobre os adiamentos da inauguração do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Regional, que deve atender várias cidades da região. De acordo com o governador, o serviço, com sede em Varginha (MG), só não começou a funcionar por questões políticas.

Na última semana, o consórcio que administra o Samu adiou pela terceira vez o início dos trabalhos alegando falta de verba estadual para melhorar o salário dos médicos, que é de R$ 5 mil. Até agora, apenas 40% das vagas foram preenchidas por estes profissionais.

“O governo já disse: a sua parte está cumprida e não há porque adiar. Eu só posso ver nisso uma motivação da política menor que está sendo feita certamente por aquele que conduz o consórcio do Sul de Minas. A ele cabe responder porque está havendo o adiamento”, explica o governador.

O presidente do consórcio e prefeito de Monte Sião (MG), João Paulo Ribeiro, reafirmou que tudo o que precisou ser feito para a abertura do Samu foi feito e que os atrasos dos repasses estaduais contribuíram para os adiamentos da abertura do serviço no Sul de Minas.

Fonte: G1

You may also like...

0 thoughts on “Governador de MG atribui atraso no Samu Regional a questões políticas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *