Com dívidas de R$ 90 milhões, Prefeitura anuncia corte de funcionários para amenizar crise

Com uma dívida de R$ 90 milhões, a maior da história de Alfenas, o município decidiu demitir funcionários contratados para amenizar a crise financeira, herdada pela atual administração do governo petista.

Desde o início do mandato, o prefeito Maurílio Peloso (PDT) tem enfrentado dificuldades para honrar compromissos financeiros e a saída foi deixar de prorrogar o contrato de trabalho de 180 funcionários temporários da educação.

Profissionais como professores, monitores e supervisores do setor receberam a notícia nesta quinta-feira (15). Desde agosto do ano passado, 290 funcionários foram exonerados da prefeitura.

Além do corte de funcionários, a Prefeitura adotou outras medidas para conter a crise. Uma das ações foi à redução do expediente: atualmente, a maioria dos setores funciona apenas do meio dia até as 18h. A Idéia é economizar com eletricidade, água e combustíveis.

Em entrevista a imprensa, o secretário de Administração do município, Paulo Henrique Santos Pereira, informou que o cancelamento dos contratos faz parte de uma reestruturação na educação municipal.

“Não há outra alternativa. As demandas são muitas e o município tem que pensar de forma adequada, os passos que são dados, tudo também em observação à lei de responsabilidade fiscal”, disse o secretário.

Porém, os cortes atingem em cheio uma das principais prioridades do País, a Educação. O setor mais afetado foi o da educação infantil.

De acordo com o secretário, a medida não afeta a qualidade dos serviços na Educação. “Os cargos serão preenchidos por professores que já estavam na rede de ensino, mas que estavam exercendo funções administrativas”, afirmou o secretário.

O corte de funcionários da Educação não é vista com “bons olhos” pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais. O órgão acredita que a população será prejudicada.

“A população vai ser prejudicada e o próprio servidor também vai ser prejudicado porque vai se dobrar de trabalhar. A gente não apoia essa decisão do prefeito da reestruturação porque a gente pensa no concurso público e ele não acatou isso”, disse Wagner Soares, presidente do Sindicato.

Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Alfenas, a atual administração estuda a possibilidade de realizar um concurso público para preencher as vagas, mas sem data definida.

R$ 6 milhões em caixa

Ao contrário do atual prefeito Maurílio Peloso, os seus antecessores, Pompilio Canavez e Luiz Antônio Silva, ambos do PT, não pegaram a prefeitura endividada. Na época em que assumiu a cadeira do Executivo Municipal, em 2005,os ex-prefeitos do PT receberam o cofre da Prefeitura com R$ 6 milhões em caixa e ao saírem deixaram a dívida.

Luiz Antônio Silva e Pompilio Canavez, atualmente rompidos politicamente, não foram localizados pela reportagem do Alfenas Agora.

You may also like...

0 thoughts on “Com dívidas de R$ 90 milhões, Prefeitura anuncia corte de funcionários para amenizar crise”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *