Polícia Civil investiga se Hospital liberou paciente vivo para ser sepultado

A Polícia Civil está investigando se o Hospital Santa Casa de Alfenas errou ao emitir atestado de óbito afirmando que a paciente Maria de Lourdes Pereira, 60 anos, estava morta. Familiares da mulher acreditam que ela estava viva no velório, realizado na última terça-feira, dia 17, em Machado.

Com o inquérito aberto pela PC, a família de Maria de Lourdes Pereira espera respostas do Instituto Médico Legal que irá apontar se ela ainda estava viva no velório. A mulher ficou sendo velada por 15 horas.

A Santa Casa de Alfenas informou que só vai prestar esclarecimentos á Polícia Civil caso seja intimada. As informações são do Portal G1.

“Nós estávamos rezando um terço para minha tia, quando ela mexeu os olhos, abriu a boca e o corpo ainda estava quente. Ela estava mexendo os pés também, mexeu duas vezes e parou. O corpo estava mole e quente, por isso estamos atrás da verdade”, disse a sobrinha da vítima, Débora Helena Souza de Oliveira.

De acordo com a sobrinha da mulher, os filhos da vítima até tentaram acordar a mãe, mas sem sucesso, então, eles registraram um boletim de ocorrência, já que acreditam que ela ainda estava em coma e que o hospital errou dando o laudo de óbito. Por isso o corpo foi levado para o IML, onde passou por uma necropsia para constatar a real hora da morte.

O enterro em Machado foi cancelado e com a autorização do delegado Eduardo Correia, responsável pelo caso, a família levou o corpo para o IML de Alfenas para exames. O delegado vai investigar se houve negligência por parte do hospital no momento em que a morte foi atestada.

No laudo emitido pelo médico da Santa Casa consta a data da morte, mas no campo destinado à causa do óbito, o médico preencheu dizendo que aguardava os resultados dos exames.

Por telefone, o irmão da vítima, Sebastião de Oliveira conversou com o médico. “Ele disse que é normal ter estes espasmos durante o velório”, falou.

No IML, o médico legista colheu materiais do corpo, que serão examinados em um laboratório de Belo Horizonte (MG). O resultado deve sair em 90 dias. O médico informou aos familiares que o horário da morte informado pela Santa Casa de Alfenas foi de 11h15 de segunda-feira.

vitima

Vítima teve leucemia

Durante 14 dias, a idosa ficou internada no Hospital Alzira Velano para tratamento de leucemia. No entanto, o quadro dela se agravou e no último sábado, ela foi transferida para a Santa Casa de Alfenas. Na segunda-feira (16), segundo os parentes, Maria entrou em estado de coma na parte da manhã e teria falecido às 11h15.

Segundo Helena Aparecida de Oliveira, irmã de Maria, no domingo (15), a vítima ainda estava lúcida. “Ela estava conversando, perguntando das pessoas, querendo saber. Eu não sei porque não colocaram ela no CTI”, disse.

Após ter passado pela necropsia, o corpo de Maria foi levado novamente para Machado e enterrado no final da tarde desta terça-feira (17). Agora, a família vai aguardar os resultados dos exames para decidir se processa o hospital.

You may also like...

0 thoughts on “Polícia Civil investiga se Hospital liberou paciente vivo para ser sepultado”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *