“Não sei onde está nosso direito”, desabafa cadeirante na Tribuna Livre da Câmara

O cadeirante Cleiton Josiel de Carvalho foi aplaudido depois de usar a Tribuna Livre da Câmara Municipal na noite desta segunda-feira, dia 02. Ele reclamou do descaso do município com os portadores de necessidades especiais. O rapaz é tetraplégico há onze anos, quando sofreu um acidente.

Cleiton falou ao microfone no meio do plenário, longe da Tribuna Livre, pois não há acesso ao local para cadeirantes. Antes da fala de Cleiton, o presidente da Casa, Enéias Ferreira Resende, pediu desculpas. Disse que a Câmara não da exemplo em relação ao acesso de cadeirantes, mas que uma reforma irá facilitar o acesso de pessoas com deficiências.

DSC03662

 

Cleiton reclamou dos trabalhos do município em relação aos portadores de deficiência. Disse que sente dores no corpo e não consegue fisioterapeuta; criticou a ausência dos trabalhos do PSF (Programa Saúde da Família).

“Fico isolado em casa, é um descaso. O governo municipal não tem sensibilidade, não tem nada”, desabafou.

Ele afirmou que para conseguir um simples exame de urina o município demorou mais de 40 dias. “E se eu sofresse uma falência dos órgãos devido a esse atraso?”, indagou o rapaz.

Cleiton lembrou que a cidade não oferece estrutura para os cadeirantes. Ele citou como exemplo a falta de rampas nas calçadas e em locais públicos, como Teatro Municipal.

Reclamou da falta de medicamentos e sugeriu que a Camara elaborasse uma “cartilha municipal para os deficientes físicos”.

Ao final da fala, o presidente da Camara, Enéias Ferreira Resende, disse que o legislativo irá fazer uma reunião com o prefeito para resolver esses problemas.

You may also like...

0 thoughts on ““Não sei onde está nosso direito”, desabafa cadeirante na Tribuna Livre da Câmara”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *