Rodovia Fernão Dias tem queda de 39% nas mortes em acidentes

A Rodovia Fernão Dias, que liga São Paulo a Minas Gerais, registrou queda de 39% no número de mortes em acidentes no primeiro semestre de 2016 em comparação com o mesmo período de 2015. Em 2015, foram registrados 87 mortes na rodovia. Em 2016 o número caiu para 53. Foram 74 acidentes com óbitos no primeiro semestre de 2015 e 49 nos seis primeiros meses deste ano.

O levantamento, feito pelo Grupo Estratégico de Redução de Acidentes (Gerar), também aponta que, no número total de acidentes, houve redução de 8% – 337 casos a menos. Foram 4.188 acidentes no primeiro semestre de 2015 e 3.851 nos primiros seis meses de 2016.

Do total dos acidentes, o levantamento aponta entre as possíveis causas: 40,5% por perda de controle do veículo, 22,3% por descuido do motorista e 4,8% por dormir ao volante.

O estudo indica também que, no km 921, em Camanducaia, o total de vítimas que morreram foi reduzido a zero. O número de acidentes caiu de 67, em 2013, para 7, em 2016. No local foram implantadas placas, linhas de estímulo à redução de velocidade, sistema de iluminação e radar.

No trecho de Sul de Minas, entre Extrema e Santo Antônio do Amparo, o total de mortos e feridos reduziu, respectivamente, 32,3% e 25,2%. Já o total de acidentes caiu 5,4%.

“Vem sendo feito um trabalho intenso em conjunto com a engenharia e operações no sentido de levantar os pontos críticos e implantar soluções efetivas que aumentem a segurança dos nossos usuários”, disse José Carlos de Oliveira, coordenador do Gerar da Autopista Fernão Dias. “Quando se analisa a causa, fica fácil perceber que a maioria dos acidentes poderia ser evitado.”

A equipe tem a meta de reduzir em 50% o número de mortes na rodovia até 2020. “O Gerar faz um trabalho constante, com metas, plano de ação e muito planejamento”, disse o diretor superintendente da concessionária, Helvécio Tamm de Lima.

FONTE:G1

You may also like...

0 thoughts on “Rodovia Fernão Dias tem queda de 39% nas mortes em acidentes”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *