Em Fama e Alfenas, Copasa é assunto na disputa eleitoral

A insatisfação com o contrato com a empresa Copasa é assunto na disputa eleitoral em pelo menos duas cidades da região: Alfenas e Fama.

Nessas duas cidades, alguns candidatos são questionados por conveniência ou relação duvidosa com a Estatal.

Em Alfenas, Luiz Antônio da Silva (PT) é cobrado por ter apoiado o projeto que virou Lei entre o município e a empresa Copasa. Na época, Luizinho era vereador.

O contrato transferiu o abastecimento de água e o tratamento de esgoto à empresa estatual e permitiu que ela passasse a cobrar 50% a mais na conta de água, mesmo sem o tratamento de esgoto ter sido iniciado. As obras da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) só foram inauguradas em 2010, quatro anos depois do contrato assinado. Nesse período, todos os moradores pagaram pelo tratamento de esgoto, mesmo sem ter sido construída a ETE.

Luiz Antônio Silva tem se defendido em entrevistas e debates. Alega que votou contra o projeto e mostra as atas das reuniões da Câmara. Também teria sido o único prefeito a entrar com ação contra a Copasa depois do contrato assinado.

A queixa na Justiça foi em 2011, quando ele era chefe do Executivo Municipal. Na ocasião, Luiz Antônio cobrou uma multa 13,4 milhões pelo fato da concessionaria não ter cumprido o prazo de tratar o esgoto em toda a cidade.

Os outros dois prefeitos, anterior a ele, foram pressionados, mas não incomodaram a empresa a Copasa na Justiça. Em 2015,

Maurilio Peloso deu sinais que romperia o contrato, mas recuou e o assunto foi engavetado.

Já Pompilio Canavez, primeiro prefeito depois do contrato com a Copasa ter sido assinado, nunca manifestou interesse em romper com a Copasa e hoje, curiosamente, trabalha em cargo de direção da Estatal.

Em Fama…

Em Fama, o contrato com a Copasa foi assinado na gestão do prefeito Angelo Sackisida, que atualmente tenta a reeleição. A cobrança pela instalação da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) nunca teria sido imposta por ele diante da Copasa.

O esgoto continua sendo lançado na represa e já teria se tornado polêmica envolvendo até a família do prefeito. Há três anos, familiares do prefeito teriam sido processados por um morador.

Um cidadão famense se sentiu ameaçado pelo filho do prefeito, Ricardo Sackisida, que foi tirar satisfações, no meio da rua, devido ao registro de imagens do esgoto sendo lançado na represa.

Ricardo ameaçava agredir o rapaz e fazia várias ofensas. Ele acabou sendo processado e junto com outros membros da família Sackisida foram condenados pela Justiça e tiveram que pagar multas.

>> A briga foi registrada por um celular. CLIQUE AQUI E VEJA O VÍDEO

Considerada uma cidade turística, ao lado da represa, o esgoto é uma das cobranças que a atual gestão tem sofrido nas redes sociais e por adversários. O “lixão”, ou aterro controlado, também é alvo de ambientalistas amadores e moradores, que manifestam insatisfação na internet.

Há vídeos mostrando ainda o lixo hospitalar sendo despejado no município sem nenhum cuidado.

Outro problema ambiental em Fama, que passa despercebido aos olhos da administração municipal, é o cuidado com as nascentes d’água. Não há um programa de revitalização ou preservação e muitas estão secando.

Nesta quinta-feira, dia 29, a reportagem tentou falar com o prefeito Angelo Sackisida, mas até a publicação desta reportagem ele não havia se manifestado.

You may also like...

0 thoughts on “Em Fama e Alfenas, Copasa é assunto na disputa eleitoral”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *